Arquivo do autor:Carlos Amorim

Sobre Carlos Amorim

Carlos Amorim é jornalista profissional há mais de 40 anos. Começou, aos 16, como repórter do jornal A Notícia, do Rio de Janeiro. Trabalhou 19 anos nas Organizações Globo, cinco no jornal O Globo (repórter especial e editor-assistente da editoria Grande Rio) e 14 na TV Globo. Esteve no SBT, na Rede Manchete e na TV Record. Foi fundador do Jornal da Manchete; chefe de redação do Globo Repórter; editor-chefe do Jornal da Globo; editor-chefe do Jornal Hoje; editor-chefe (eventual) do Jornal Nacional; diretor-geral do Fantástico; diretor de jornalismo da Globo no Rio e em São Paulo; diretor de eventos especiais da Central Globo de Jornalismo. Foi diretor da Divisão de Programas de Jornalismo da Rede Manchete. Diretor-executivo da Rede Bandeirantes de Rádio e Televisão, onde implantou o canal de notícias Bandnews. Criador do Domingo Espetacular da TV Record. Atuou em vários programas de linha de show na Globo, Manchete e SBT. Dirigiu transmissões de carnaval e a edição do Rock In Rio 2 (1991). Escreveu, produziu e dirigiu 56 documentários de televisão. Ganhou o prêmio da crítica do Festival de Cine, Vídeo e Televisão de Roma, em 1984, com um especial sobre Elis Regina. Recebeu o prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro, em 1994, na categoria Reportagem, com a melhor obra de não-ficção do ano: Comando Vermelho – A história secreta do crime organizado (Record – 1994). É autor de CV_PCC- A irmandade do crime (Record – 2004) e O Assalto ao Poder (Record – 2010). Recebeu o prêmio Simon Bolívar de Jornalismo, em 1997, na categoria Televisão (equipe), com um especial sobre a medicina em Cuba (reportagem de Florestan Fernandes Jr). Recebeu o prêmio Wladimir Herzog, na categoria Televisão (equipe), com uma série de reportagens de Fátima Souza para o Jornal da Band (“O medo na sala de aula”). Como diretor da linha de show do SBT, recebeu o prêmio Comunique-se, em 2006, com o programa Charme (Adriane Galisteu), considerado o melhor talk-show do ano. Em 2007, criou a série “9mm: São Paulo”, produzida pela Moonshot Pictures e pela FOX Latin America, vencedora do prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) de melhor série da televisão brasileira em 2008. Em 2008, foi diretor artístico e de programação das emissoras afiliadas do SBT no Paraná e diretor do SBT, em São Paulo, nos anos de 2005/06/07 (Charme, Casos de Família, Ratinho, Documenta Brasil etc). Vencedor do Prêmio Jabuti 2011, da Câmara Brasileira do Livro, com “Assalto ao Poder”. Autor de quatro obras pela Editora Record, foi finalista do certame literário três vezes. Atuou como professor convidado do curso “Negócios em Televisão e Cinema” da Fundação Getúlio Vargas no Rio e em São Paulo (2004 e 2005). A maior parte da carreira do jornalista Carlos Amorim esteve voltada para a TV, mas durante muitos anos, paralelamente, também foi ligado à mídia impressa. Foi repórter especial do Jornal da Tarde, articulista do Jornal do Brasil, colaborador da revista História Viva entre outras publicações. Atualmente, trabalha como autor, roteirista e diretor para projetos de cinema e televisão segmentada. Fonte: resumo curricular publicado pela PUC-RJ em “No Próximo Bloco – O jornalismo brasileiro na TV e na Internet”, livro organizado por Ernesto Rodrigues em 2006 e atualizado em 2008. As demais atualizações foram feitas pelo autor.

Família Bolsonaro insufla golpe militar: “Acabou, porra!” – diz o presidente, sinalizando que está na hora de agir contra o Congresso e o STF. Generais respondem: “não vai haver golpe nenhum!”.

                                    O general Santos Cruz, que já integrou o governo Bolsonaro e é considerado uma das vozes mais ativas na caserna, declara na … Continuar lendo

Publicado em Politica e sociedade | Deixe um comentário

Extremista de direita, alvo de operação da Polícia Federal, ameaça ministro do STF. Sara Winter comanda o grupo “Os 300 do Brasil”, considerado milícia armada.

                                     O nome dela é Sara Fernanda Giromini. Tem 27 anos e se denomina blogueira e escritora. Já foi ativista feminista, contra o cristianismo e a favor da homossexualidade e do aborto. Fundou o Femen Brasil, réplica tupiniquim do … Continuar lendo

Publicado em Politica e sociedade | Deixe um comentário

A tubaína e o novo milagre brasileiro.

                        A performance pública do presidente Jair Messias Bolsonaro arrepia o mundo civilizado. Já foi considerado o maior inimigo do combate à pandemia, entre todas as Nações. Aqui ele faz piadas sobre a mortandade, diz que “a direita toma cloroquina, … Continuar lendo

Publicado em Politica e sociedade | Deixe um comentário

Quem com golpe vence, com golpe será vencido: general Hamilton Mourão começa a se descolar de Bolsonaro, cuja atuação caótica desmoraliza as Forças Armadas.

O vice-presidente, general Hamilton Mourão, ainda discretamente, começa a se afastar da figura pública de Jair Bolsonaro. Ele atende, com isso, aos reclamos da alta oficialidade das Forças Armadas, insatisfeita com os rumos e desacertos do governo. Além da tragédia … Continuar lendo

Publicado em Politica e sociedade | 2 Comentários

A inacreditável entrevista da Regina.

                                   Há quem diga que ela estava drogada, ao falar ao vivo para a CNN Brasil. Não acredito nisso. Penso que ela é mesmo despreparada como pessoa e indefinível como figura pública, fora das novelas da Globo, como gestora da … Continuar lendo

Publicado em Politica e sociedade | Deixe um comentário

Coronavírus mata 6 presos e 7 funcionários dos presídios de São Paulo. No total, 37 detentos e servidores foram confirmados com o vírus. Mais de 50 presos estão isolados e 162 funcionários foram afastados.

                                    O governo paulista desencadeou uma operação de emergência para impedir que a pandemia se espalhe entre os mais de 250 mil presidiários do estado, a maior concentração carcerária do país. Todas as atividades nos presídios, inclusive as refeições, estão … Continuar lendo

Publicado em Politica e sociedade | Deixe um comentário

Bolsonaro, o discurso patético e o fim do mundo.

                                    Nunca antes na história deste país um presidente da República havia feito um pronunciamento tão grotesco quanto a fala de Jair Messias Bolsonaro após o pedido  de demissão do ministro Sérgio Moro. Nem Jânio Quadros, que era patético por … Continuar lendo

Publicado em Politica e sociedade | Deixe um comentário