Novo livro do jornalista Carlos Amorim será adaptado para cinema e televisão. O projeto foi aprovado pela Agência Nacional de Cinema (Ancine), com base nas leis de incentivo ao audiovisual.

araguaia_02_capa                      “Araguaia – Histórias de amor e de guerra” vai virar documentário de longa metragem e minissérie de televisão. Amorim, autor do livro (Ed. Record, 505 páginas, nas livrarias desde 10 de novembro), extraiu da obra um roteiro original e produziu o projeto para dar vida às histórias da luta armada no sul do Pará, durante o regime militar. A produção foi aprovada pela Agência Nacional de Cinema (Ancine) para captar recursos (patrocínios) com base nas leis de incentivo ao audiovisual. Os investidores, pessoas físicas ou empresas, poderão descontar integralmente as verbas aplicadas no filme do Imposto de Renda devido.

Trata-se de um projeto jornalístico e apartidário, que pretende dar voz a todos os segmentos envolvidos no conflito. Segue a mesma linha editorial do livro, como define o próprio autor: “não queremos julgar o que aconteceu no Araguaia, queremos entender o que houve por lá”. A produção já dispõe de 16 horas de depoimentos inéditos: ex-guerriheiros, militares, civis envolvidos na guerrilha, familiares de desaparecidos, jornalistas, advogados, pesquisadores. Há extenso arquivo fotográfico e imagens que jamais chegaram ao conhecimento da opinião pública. Para concluir a produção, o projeto prevê uma expedição ao Araguaia, para refazer as trilhas da guerrilha.

A realização cinematográfica de “Araguaia – Histórias de amor e de guerra” se destina inicialmente às salas de cinema. No entanto, considerando o volume de imagens e depoimentos, o projeto deve se desdobrar em capítulos, para uma minissérie de TV. Pessoas ou empresas interessadas neste trabalho podem entrar em contato através deste site.

Anúncios
Esse post foi publicado em Politica e sociedade. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Novo livro do jornalista Carlos Amorim será adaptado para cinema e televisão. O projeto foi aprovado pela Agência Nacional de Cinema (Ancine), com base nas leis de incentivo ao audiovisual.

  1. sylvia lund disse:

    Oi Carlos , Sou Irma de Guilherme Gomes Lund. Iq foi morto la. Iniciei a leitura de seu livro Araguaia. Tenho “material’ sobre o meu irmao caso vc deseje/necessite . abracos Sylvia Lund
    Partcipo Cejil c/ Vitoria Grabois.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s