50 anos das FARCs na Colômbia: líder guerrilheiro diz que a guerra está longe de acabar.

Timoleón Jiménez, o comandante das FARCs.

Timoleón Jiménez, o comandante das FARCs.

“Se as guerrilhas estivessem derrotadas, eles (o governo) não estariam aqui para negociar conosco”.
A frase entre aspas é de um dos líderes guerrilheiros colombianos presentes às negociações de paz, em Havana. Chamado de “Comandante Fidel Rondón”, o dirigente da última guerrilha comunista das Américas deu entrevista à Rádio Café Estereo, do Equador, dizendo que a guerra na Colômbia está longe de acabar. Rondón garantiu que as FARCs continuam atuando em sete regiões do país, com mais de 40 frentes de combate. “Temos ações de guerrilha todos os dias”.
O movimento armado naquele país acaba de completar 50 anos de existência. Mais de meio milhão de pessoas morreram no conflito. Um quarto da população rural perdeu as casas e as terras, criando uma legião de “desplazados” que hoje vive na miséria quase total. A Colômbia está dividida entre três poderes antagônicos: o narcotráfico, que dispõe de grupos paramilitares, a guerrilha e o governo legal. As negociações de paz em curso na capital cubana – a quinta rodada de conversas nos últimos 20 anos – chegaram a um impasse.
O governo colombiano concorda com um amplo projeto de reforma agrária e com a participação dos comunistas nas eleições. Mas boa parte da opinião pública e das forças armadas não concorda com uma anistia geral no país, porque os guerrilheiros são considerados criminosos comuns. Na entrevista, o comandante Rondón declarou: “nós estamos aqui para uma conversa franca, sincera, com vistas a encontrar uma solução política (para o conflito)”. Mas insistiu: “não pensem que as FARCs estão derrotadas, porque o simples fato de estarmos negociando já demonstra a nossa posição”.

Militares colombianos em ação.

Militares colombianos em ação.

Nos últimos dez anos, as FARCs perderam cerca de quatro mil combatentes, entre mortos, feridos, prisioneiros e desertores. Mas o grupo ainda é uma poderosa força militar, com mais de 16 mil homens e mulheres no campo. Recentemente, também a propósito dos 50 nos da organização, o comandante-em-chefe da guerrilha, Timoleón Jiménez, gravou um pronunciamento dizendo que “o narcotráfico é inimigo das FARCs”, declaração fartamente desmentida pelo noticiário. Os guerrilheiros ocupam há muito tempo parte das áreas produtoras de folhas de coca, trocando a pasta base da cocaína por armas e explosivos.
Só para refrescar a memória: o maior traficante brasileiro, Fernandinho Beira-Mar, um dos chefes do Comando Vermelho, foi preso justamente na Colômbia, durante enfrentamento entre guerrilheiros e forças especiais do exército daquele país. FBM levou um tiro de AR-15, que arrebentou o braço esquerdo. Estava na área de atuação da Frente 16 das FARCs, sob as ordens do “Comandante Negro Acácio”, que também foi capturado na ocasião. De acordo com a imprensa interacional, FBM negociava cocaína por armas.
Impressiona constatar que a mídia brasileira não dá nenhuma importância ao conflito armado no país vizinho. Temos com a Colômbia uma larga fronteira, inclusive com atuação de guerrilheiros em nosso território. Por ali passam armas e drogas que abastecem o crime organizado em nossas grandes cidades. Certa vez, um comando guerrilheiro atacou e ocupou por três dias um posto de controle da fronteira, matando três e ferindo outros seis dos nossos soldados. Com tamanha instabilidade na região amazônica, o governo brasileiro tem atuado timidamente. Mas conseguiu a libertação de reféns em poder das FARCs.

Anúncios
Esse post foi publicado em Violência e crime organizado. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s