Governo Temer está derretendo. Em apenas dez meses, 8 ministros caíram. Todos levando consigo algum tipo de suspeita. Os dois últimos, José Serra e Eliseu Padilha, alegaram motivos de saúde. Ambos são investigados na Lava-Jato. Em Miami, polícia prende dois operadores financeiros do PMDB.  

serra-e-temer-01

Serra e Temer. Mais baixas no governo. Imagem do portal IG.

 

                                   A polícia americana prendeu hoje (24 fev), no aeroporto de Miami, dois operadores financeiros do PMDB, foragidos da Lava-Jato. Jorge e Bruno Luz, pai e filho, acusados de manipular 40 milhões de reais para políticos do partido de Michel Temer, estavam na lista de procurados pela Interpol. Já foram deportados para o Brasil, onde chegam neste sábado de carnaval. Eles têm muito a revelar para o juiz Sérgio Moro. E devem produzir mais um rombo na já precária imagem pública do governo, porque certamente vão delatar seus associados no Planalto. Vão delatar para fugir de longas penas de prisão.

                                   Temer, cuja assunção ao poder foi classificada pela mídia independente como “traíra” e “golpista”, amarga mais essa derrota. A delação premiada dos doleiros presos em Miami abre novas janelas de investigação de um governo cujos principais colaboradores são acusados (ou suspeitos) de uma lista inenarrável de crimes políticos e eleitorais. Muitos deles são tidos como envolvidos em organizações criminosas, corrupção, lavagem de dinheiro, crimes fiscais e mais uma série de bandalheiras que não me cabe descrever.

                                   Hoje mesmo a justiça suíça bloqueou contas bancárias milionárias em nome do filho do senador Édson Lobão, presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, que teve papel decisivo na aprovação do nome de Alexandre de Moraes para a Suprema Corte do país. É mais um colaborador de Temer mortalmente atingido. Se não bastasse, a semana registra ainda duas novas baixas no governo. Dois ministros pediram para sair: José Serra (PSDB-SP), das Relações Exteriores, e Eliseu Padilha (PMDB-RS), da Casa Civil, alegando problemas de saúde. Serra teria sido   submetido a uma cirurgia de coluna. Padilha iria se submeter a uma cirurgia de câncer de próstata. Ou seja: perdas irreparáveis.

                                   Temer, com menos 8 ministros, quase um terço dos ministérios, se torna cada vez mais refém do Congresso, onde uma maioria ultraconservadora aprova medidas impopulares. Quer se apoiar no PSDB, que empresta a ele uma imagem de governo progressista. Ou reformista.  Para o lugar de Serra está previsto o senador Antônio Anastasia, ex-governador de Minas, apoiador de Aécio Neves. A crise política deve continuar, porque quase todos eles são alvos da Lava-Jato. Anastasia ainda não foi citado, mas não perde por esperar.

                                   Resumidamente, a questão é a seguinte: Temer afunda. Seus colaboradores mais próximos são (ou serão) acusados de crimes. Como chegar a 2018?    

      

Anúncios
Esse post foi publicado em Politica e sociedade. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Governo Temer está derretendo. Em apenas dez meses, 8 ministros caíram. Todos levando consigo algum tipo de suspeita. Os dois últimos, José Serra e Eliseu Padilha, alegaram motivos de saúde. Ambos são investigados na Lava-Jato. Em Miami, polícia prende dois operadores financeiros do PMDB.  

  1. Diana Barros disse:

    Temer é só o resto dessa coligação nojenta q roubou o Brasil! Grande lava a jato! Que a limpeza continue! Grande abraço

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s