Michel Temer está nu: base de apoio do governo se recusa a votar a impopular reforma da Previdência. É medo do eleitorado no ano que vem. Pode morrer na praia.

2a denuncia contra temer 02

Temer comemora vitórias esperada, porém duvidosa.

 

                                   Enquanto Dilma Rousseff amargava forte reação da classe média contra o governo dela, o PT e a corrupção, o vice Michel Temer cuidava de preparar um programa de poder chamado “Uma ponte para o futuro”, adjetivado de “pinguela” por Fernando Henrique Cardoso. O conteúdo político do manifesto de rompimento com Dilma, uma senha para a rebelião dos setores conservadores no Congresso, resultou no impedimento da primeira mulher presidente do país. Era coisa velha. Desde os tempos da oposição de direita a Getúlio Vargas, depois que o caudilho voltou pelo voto popular.

                                   No entanto, por trás daquelas mal traçadas linhas da “ponte”, havia um projeto rigorosamente alinhado com o grande capital, nacional e estrangeiro, cuja intenção era realizar “reformas” na Constituição de 1988 e superar as defesas criadas pela CLT aos trabalhadores. Esses direitos custavam caro ao governo e ao patronato. A Constituição do Doutor Ulisses Guimarães chegou a tabelar os juros bancários em 1% ao mês. Imaginem tamanha heresia! A CLT defendia o 13º salário, férias remuneradas, multas para demissões sem justa causa etc. Coisas inéditas em boa parte do planeta.

                                   Temer acenou com reformas para romper a barreira da legislação, com base na maioria parlamentar que tinha, superando a etapa “dilmista” de baixa comunicação com o Brasil real e quase total incapacidade de se relacionar com a política prática – ou seja: um Congresso abastardado. Michel foi na contramão do PT, oferecendo benesses e formas indiretas de financiamento ao empresariado, como a redução das obrigações trabalhistas, que custam demais para as empresas, e perdão fiscal para vários setores. A tese envolvia uma reforma fiscal, que nunca saiu do papel; reforma política, impossível com tal Congresso; reforma trabalhista, aprovada com danos apenas para o campo do trabalho; limitação dos gastos públicos por 20 anos, aprovada, atingindo o investimento público em educação, saúde, tecnologia, pesquisas, ciência e segurança pública. Enquanto isso, Temer aprovava a liberação de bilhões de reais para as famosas emendas parlamentares ao orçamento da União, uma das mais notórias formas de corrupção política no Patropi.

                                   Mas o grande nó surgiu quando a Lava Jato e a PGR acusaram diretamente o núcleo do poder. Temer, ministros, apoiadores, aliados. Malas de dinheiro foram expostas na TV. A Globo rompeu com o regime, coisa que não vi em nenhum momento da alardeada Nova República. Temer reagiu cortando verbas públicas de publicidade. E – pela primeira vez, salvo engano – o controle da verba de propaganda foi alocado na sala ao lado do trono. Moreira Franco, ministro acusado de formação de quadrilha (salvo engano), agora controla a divisão do bolo publicitário.

                                   A reforma da Previdência. Esta atinge diretamente milhões de brasileiros e muitos mais de seus parentes. Aí a cobra enrola o rabo. A base de apoio de Temer, fora o trocadilho, teme o julgamento popular nas urnas de 2018. Quem ficar a favor, pode perder votos decisivos. Sem votos, perde o privilégio de foro para serem julgados na justiça comum. E há um número incontável de políticos acusados na faina do Ministério Público e da polícia contra eles. Temer pode ser abandonado na reta final de seu projeto de alinhamento com o patronado. Há quem diga que já era. Falha ao avistar a praia. A típica morte ao chegar.           

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Politica e sociedade. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s