Lama de Brumadinho esconde corpos, corrupção política, suborno e laudos mentirosos. Crime em cima de crime. Todos praticados por uma empresa que há pouco era a terceira maior do país.

brumadinh 01

Mais uma tragédia sem culpados.

                                 Mais de uma centena de corpos já foram retirados do mar de lama em Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte. Quanto mais os resíduos que vazaram da represa da Vale do Rio Doce são remexidos, o fedor é maior. Não só das outras duas centenas de pessoas soterradas, mas das práticas inescrupulosas da companhia. Em dezembro passado, obteve autorização do governo de Minas para ampliar a área de dejetos industriais. Contra tudo e contra todos. E com base em laudos técnicos duvidosos, realizados por uma empresa alemã que ninguém conhece. Tão duvidosos que, apenas um mês depois, três barragens da Vale lançaram milhões de metros cúbicos de lama sobre inocentes. A maioria desses inocentes era de funcionários da empresa.

                                   Cerca de três anos antes, a Vale, uma das controladoras da Samarco, já havia matado 20 pessoas e produzido o maior desastre ambiental do país, em Mariana. Nem a tragédia de 2015 emprestou a essa mineradora um pouco de prudência e bom-senso. Muito pelo contrário: a empresa bloqueou todas as iniciativas de criar leis mais duras contra os prováveis desastres envolvendo a Vale. Dois projetos foram detidos na Assembleia Legislativa de Minas, além de cinco na Câmara Federal e um no Senado.

brumadinho 02

Mais de 100 corpos resgatados.

                                   Pior: os parlamentares amigos das mineradoras, que sempre tiveram campanhas eleitorais financiadas com ferro, gusa, manganês, bauxita e ouro, agiram para facilitar a vida dessas empresas, diminuindo as exigências de licenciamento e fiscalização. Contra tudo e contra todos. Um deles, deputado federal, chegou a dar entrevista à TV se dizendo orgulhoso de servir ao setor mineralista. Vergonha! Um repórter da Globonews, Valdo Cruz, declarou em um dos telejornais que o lobby das mineradoras no Congresso era responsável pelo abandono de todas as propostas de endurecimento das leis para o setor. Tais projetos, segundo o jornalista, ganhavam um carimbo de “ainda em análise”. O que quer dizer: “esqueça-se”. O senador Randolfe Rodrigues, da Rede, repetiu a acusação. No entanto, nenhuma pressão funciona quando as mineradoras esfregam milhões de reais diante do nariz dos políticos.

                                   A política no Brasil é dominada pelo grande capital. Alguma dúvida? O governo Bolsonaro prometeu passar o país a limpo. Mas recuou diante do primeiro obstáculo. Mesmo sendo um dos donos da Vale, desistiu de tentar destituir a diretoria da empresa, porque daria “uma péssima sinalização ao mercado”, segundo Onyx Lorenzoni. Seria uma sinalização pior do que centenas de mortos? E quem é – afinal – esse tal de mercado? Vamos ver:

                                   No dia do desastre, uma sexta-feira (25 jan), a Bolsa de Valores de São Paulo estava fechada em razão do feriado de fundação da cidade. Em Nova Iorque, as ações da Vale desabaram 8% no pregão. Na segunda (28 jan), em São Paulo, a Vale se desvalorizou em 24% – em Nova Iorque, mais 18%. O valor nominal da companhia se desvalorizou em 71 bilhões de reais. Caiu de terceira para a quinta maior empresa brasileira. O preço do minério de ferro no mercado mundial subiu 5% por tonelada. No dia seguinte, as ações da Vale dispararam para cima, chegando a mais de 10% em São Paulo. O que isto quer dizer: compramos na baixa para vender na alta.

                                   O mercado financeiro está pouco se lixando para os mortos e o dano ambiental. Viu na crise uma oportunidade de lucros. Comprar na baixa e vender na alta. Simples assim. As centenas de vítimas que se danem. Ah, sim: não mandaram prender o presidente da Vale ou os seus principais diretores, aqueles que, afinal de contas, resolveram manter as barragens perigosas. Prenderam outras cinco pessoas, incluindo dois engenheiros que assinaram um laudo afirmando que estava tudo bem.

                                   Ou seja: os peixes pequenos.

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Politica e sociedade. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s