Governo admite que não controla PCC na cadeia.

Marcola, líder do PCC.

Marcola, líder do PCC.

Documento do governo paulista, enviado à Vara de Execuções Penais e assinado pelos secretários da segurança e da administração penitenciária, admite que as autoridades não têm condições de controlar as atividades da liderança do Primeiro Comando da Capital (PCC) dentro das prisões. O ofício, descoberto pelo repórter Sandro Barbosa, do Jornal da Band, exibido com exclusividade pela emissora, solicitava a transferência de quatro dos comandantes da organização criminosa para um regime de isolamento.
Marcos Herbas Camacho, o Marcola, Cláudio Barbará da Silva, o Barbará, Célio Marcelo da Silva, o Bin Laden, e Eduardo Marcondes Machado, o Du Bela Vista, considerados os mais importantes chefes da facção, foram transferidos da penitenciária de Presidente Venceslau para a de Presidente Bernardes, onde foram isolados. Nessa última cadeia funciona o Regime Disciplinar Diferenciado (RDD), pelo qual os presos ficam trancados em celas solitárias 23 horas por dia. Têm direito somente a uma hora de banho de sol, sozinhos num pátio. Só recebem visitas de 15 em 15 dias e não podem ler jornais, ouvir rádio ou ver televisão. É o mais duro regime penal do país, que muitos juristas consideram desumano e inconstitucional. Os líderes do PCC foram trancados no RDD no dia 11 de março, após a descoberta de um plano de fuga.
Pois bem: os advogados dos criminosos entraram com pedido de habeas corpus no Tribunal de Justiça paulista, alegando que eles não tinham nada a ver com nenhum plano de fuga e que não representavam ameaça para a sociedade, porque já estavam presos. O desembargador Péricles Piza aceitou os argumentos e mandou os chefes do PCC de volta a Presidente Venceslau, onde estão agora, convivendo normalmente com a massa carcerária. Como já disse, no meio jurídico, o regime de prisão solitária é questionado por se tratar de um castigo severo demais.
Não nos cabe discutir a decisão do juiz. Mas a confissão de incompetência do governo é estarrecedora. Se não é possível controlar o PCC dentro da cadeia, que dirá fora!

Anúncios
Esse post foi publicado em Violência e crime organizado. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Governo admite que não controla PCC na cadeia.

  1. Fabia disse:

    Na sua opinião Amorim, qual eh o benefício ou vantagem do sistema carcerário manter estes líderes de facções com vida na prisão? Causam tantas problemas dentro e fora da prisão…porque não executa-los? Sei que execução eh fora da lei e até uma solução simplista, mas realmente não entendo qual seria as consequências se algo acontecesse com o líder de facção dentro do presídio.

    Curtir

    • Carlos Amorim disse:

      Fabia,
      vivemos numa democracia e sob o chamado Estado de Direito, apesar de que as leis não atendem a todos. Com a epidemia de violência que atinge o país, surgem sentimentos de revanche, de dar o troco. No entanto, é de fato simplista, como você disse, tentar acabar com o criminoso sem acabar com as causas do crime. E não devemos deixar de responsabilizar nossos governantes, que se recusam a reformar as leis e investir nas questões sociais. O próprio sistema penal brasileiro é um lixo.
      Obrigado pelo comentário.
      Continue participando.
      abs
      Camorim

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s